Em Manacapuru, Governo do Amazonas investe R$ 1,8 milhão no desenvolvimento de produção de sementes de malva

 

Em Manacapuru, Governo do Amazonas investe R$ 1,8 milhão no desenvolvimento de produção de sementes de malva

 


 

 

O recurso será implantado para produção de sementes de malva, em Manacapuru, para distribuição aos municípios com potencial na produção de fibras vegetais

 

O Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Produção Rural (Sepror), repassou, na terça-feira (11/07), R$ 1,8 milhão de recursos financeiros para a Cooperativa Agropecuária dos Pescadores da Mesorregião do Amazonas (Coopeixe). O investimento será para viabilizar o projeto de desenvolvimento de produção de sementes de malva no município de Manacapuru (a 68 quilômetros de Manaus).

 

De acordo com titular da Sepror, Petrucio Magalhães Júnior, o desenvolvimento de sementes de malva que será produzida em terra firme, em Manacapuru, busca tornar o Amazonas autossuficiente na produção de sementes de fibras vegetais.

 

“O recurso da ordem de R$ 1,8 milhão para produção de sementes de fibras vegetais é uma grande conquista para alavancar a atividade de juta e de malva para os nossos ribeirinhos que, historicamente, dependeram da produção de sementes do estado do Pará”, disse.

 

O repasse ocorreu na sede do Sistema Sepror, situado no bairro Japiim, por meio de um termo de fomento assinado pelo titular da Sepror, Petrucio Magalhães Júnior; o presidente da Coopeixe, Donizete Pinheiro; e o autor da emenda, deputado estadual Sinésio Campos.

 

As sementes de fibras vegetais produzidas em Manacapuru, serão destinadas aos municípios com potencial produtivo na atividade. O presidente da Coopeixe, Donizete Pinheiro, afirma que já estão sendo produzidos cerca de quatro hectares, e com o recurso investido serão implantados mais 10 hectares para o desenvolvimento das sementes de malva.

 

“Vamos buscar suprir essa demanda dentro do estado. O que está acontecendo aqui é inédito, um desafio. Vamos colocar em prática para cerca de 7 meses depois, essas sementes estejam sendo destinadas aos municípios”, fala Donizete.

 

FOTOS: Emerson Martins/Sepror

Postar um comentário

0 Comentários