Dois indivíduos são presos, em Manacapuru, por lesão corporal, stalking e estupro na Operação Shamar

 

Dois indivíduos são presos, em Manacapuru, por lesão corporal, stalking e estupro na Operação Shamar

 


 

Os crimes ocorreram em datas e circunstâncias distintas


A Polícia Civil do Amazonas (PC-AM), por meio da Delegacia Especializada de Polícia (DEP) de Manacapuru (a 68 quilômetros de Manaus), prendeu, na quinta-feira (24/08), dois indivíduos, de 37 e 47 anos, pelos crimes de lesão corporal e stalking, praticados no âmbito da violência doméstica, e estupro. Os crimes ocorreram em datas e circunstâncias distintas.

De acordo com a delegada Roberta Merly, titular da unidade especializada, a respeito dos casos de lesão corporal e stalking, a vítima, 30, é cunhada do autor, 47. Na ocasião das práticas criminosas, a mulher estava em via pública e foi surpreendida pelo indivíduo, que a agrediu fisicamente.

“Ela contou que ele a perseguia constantemente e atribuía a ela o motivo dos desentendimentos que tinha com a sua companheira e irmã da vítima. Ao sermos comunicados dos fatos, saímos em diligência e conseguimos efetuar a prisão em flagrante do infrator”, disse.

Quanto ao caso de estupro, a titular contou que a vítima é uma adolescente de 15 anos e o crime ocorreu em 2022, em Manacapuru. Na ocasião do delito, a adolescente foi ao encontro do homem para receber um dinheiro que o autor, 37, devia ao seu pai por serviços prestados.

“O indivíduo, se aproveitando da vulnerabilidade da vítima, cometeu o delito e, também, a ameaçou caso ela contasse a alguém o que teria ocorrido. Tomamos conhecimento do fato por meio de uma denúncia efetuada pelo Conselho Tutelar, que encaminhou a adolescente e seu genitor para atendimento na delegacia”, disse.

Conforme a delegada, a partir das informações coletadas durante as investigações deste caso, foi solicitada a prisão preventiva do homem e a ordem judicial foi cumprida na data de ontem.

Procedimentos

Os autores responderão por lesão corporal e stalking, praticados no âmbito da violência doméstica, e estupro, e ficarão à disposição da Justiça.


FOTO: Erlon Rodrigues/PC-AM.

Postar um comentário

0 Comentários