Wilson Lima anuncia retorno do Aula em Casa e reforço no envio de ajuda humanitária para famílias afetadas pela estiagem no estado

 

Wilson Lima anuncia retorno do Aula em Casa e reforço no envio de ajuda humanitária para famílias afetadas pela estiagem no estado

 


As aulas remotas para estudantes matriculados em escolas que tiveram as atividades suspensas começam na próxima semana e kits do Merenda também já estão sendo entregues

 

Durante reunião do Comitê Intersetorial de Enfrentamento à Situação de Emergência Ambiental, nesta terça-feira (10/10), o governador do Amazonas, Wilson Lima, anunciou que os estudantes matriculados em escolas que tiveram as atividades suspensas por conta da estiagem terão aulas não presenciais por meio do projeto “Aula em Casa - Temporada estiagem 2023” a partir da próxima semana e o reforço no envio de ajuda humanitária para afetados pela estiagem no estado.

 

A previsão é de que mais de 100 mil famílias sejam afetadas e recebam ajuda humanitária, como o envio de cestas básicas, kits de higiene, água potável e medicamentos. O governador também destacou que o Estado segue, ainda, um cronograma de entrega dos kits do Merenda em Casa para contribuir com a segurança alimentar dos alunos. Mais de 4 mil estudantes já que tiveram as aulas suspensas e estão recebendo os alimentos.

 

A edição do projeto Aula em Casa está apoiada na Resolução Nº 121, do Conselho Estadual de Educação do Amazonas (CEE-AM), de outubro deste ano. A medida busca mitigar os impactos causados pela estiagem no ano letivo dos estudantes de comunidades rurais do estado e é um projeto realizado pela Secretaria de Estado de Educação e Desporto Escolar.

 

A nova temporada do “Aula Em Casa" terá como material pedagógico norteador os “Guias de Estudos" e “Guias de Orientações”, produzidos pela Secretaria de Educação. Estudantes e professores receberão, de maneira física, as apostilas impressas, que contarão com conteúdos específicos do 3º e 4º bimestre. Nesta terça-feira (10/10), as equipes pedagógicas Seduc finalizam a produção do material, que será enviado aos representantes escolares de todo o estado.

 

Os materiais terão como foco os docentes e discentes dos Anos Iniciais (1º ao 5º ano), Anos Finais (6º ao 9º ano), Ensino Médio, da Educação de Jovens e Adultos (EJA) e do Ensino Mediado.

 

Merenda em Casa

Até esta segunda-feira (09/10), 4.103 alunos da rede estadual já estavam impactados pela estiagem. O cronograma de entregas dos kits alimentares do Merenda Em Casa começou a ser cumprido no último dia 02 de outubro. “A determinação do governador é que a gente faça a entrega e que não pode faltar alimentos para esses estudantes”, disse a secretária de Educação Kuka Chaves.

 

As entregas foram iniciadas nos municípios de Alvarães, Amaturá, Benjamin Constant, Beruri, Careiro da Várzea, Envira, Itacoatiara, Manacapuru, Manaquiri, Novo Aripuanã, Parintins, São Sebastião do Uatumã, Tefé e Tonantins. O cronograma de entregas segue sendo executado

 

Ajuda Humanitária

Para facilitar a logística de distribuição desses materiais, o Estado vai repassar as cestas básicas às prefeituras ou diretamente às famílias impactadas. Nesta quarta-feira (11/10) a ajuda chega aos municípios de Caapiranga, Manacapuru e Manaquiri, com 1 mil cestas para cada cidade; e Alvarães (1 mil cestas) e Tefé (2 mil cestas) na sequência. Em seguida, a previsão é entregar 7 mil cestas básicas nos municípios da calha do Alto Solimões.

 

“A gente está com um planejamento logístico de tal maneira que a gente consiga atender todos os municípios com um quantitativo razoável”, explicou o secretário executivo de Defesa Civil, coronel Francisco Máximo.

 

Na reunião do Comitê, o governador também anunciou a liberação de cerca de R$ 3 milhões em recurso do Fundo Floresta em Pé, do banco alemão KFW, com execução da Fundação Amazonas Sustentável (FAS), para compra de água, alimentos para as comunidades mais afetadas das Unidades de Conservação do Amazonas.

 

A pedido do Governo do Estado, um repasse de R$ 61 milhões será feito pelo Governo Federal para que os municípios possam adquirir água potável, cestas básicas e combustíveis.

 

Fotos: Mauro Neto, Antonio Lima e Alex Pazuello / Secom

Postar um comentário

0 Comentários