COP 28: Wilson Lima anuncia “Amazonas 2030” para combater desmatamento no estado

 

COP 28: Wilson Lima anuncia “Amazonas 2030” para combater desmatamento no estado

 


 


Governador apresenta programa que vai reforçar o combate à degradação florestal e  que prevê arrecadação de R$ 1 bilhão com a venda de créditos de carbono


O governador Wilson Lima anunciou, nesta quarta-feira (29/11), o Programa Amazonas 2030 para redução do desmatamento no estado, que será executado com recursos arrecadados a partir da venda de créditos de carbono. A estratégia será apresentada pelo Governo do Estado, pela primeira vez, na 28ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas, que começa amanhã em Dubai, Emirados Árabes Unidos. A participação do governador no evento inclui encontros com organizações financeiras e potenciais investidores.


O objetivo central do Amazonas 2030, segundo Wilson Lima, é alcançar o desmatamento líquido zero no estado nos próximos seis anos com reforço de ações já em execução e com a implementação de novas medidas. Para isso, está em processo de criação o Programa Jurisdicional de REDD+ (sigla para Redução de Emissões por Desmatamento e Degradação florestal) do Amazonas.


Para garantir o cumprimento dos objetivos do Amazonas 2030, o Governo do Estado espera arrecadar R$ 1 bilhão em 2024 com a venda de créditos de 809,6 milhões de toneladas de carbono equivalente (tCO2e) geradas a partir de reduções de emissões entre 2006-2015. O recurso financiará as propostas presentes no documento.


“Combater a pobreza, essa é nossa meta principal. Com pobreza não tem como você preservar o meio ambiente. Então, essas agendas que a gente tem feito e a agenda que a gente vai fazer agora na COP é importante para que aquilo que a gente tem aqui de ativo, como o crédito de carbono, floresta e recursos hídricos, eles possam se materializar em investimentos e que isso possa chegar na ponta“, destacou Wilson Lima.


Acompanharam o governador no anúncio feito à imprensa, na sede da Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema), o vice-governador Tadeu de Souza e secretários estaduais como o de Meio Ambiente, Eduardo Taveira.


Na agenda do governador do Amazonas na COP 28 também estão previstos eventos de interesse do Amazonas e da Amazônia, como debates, painéis e encontros com representantes do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID); do Banco da Amazônia (Basa); do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES); além de reuniões da Força-Tarefa dos Governadores para o Clima e Florestas (GCF) e do Consórcio Interestadual de Desenvolvimento Sustentável da Amazônia Legal.


Amazonas 2030


O Programa Amazonas 2030 é um chamado do Governo do Estado para a realização de ações concretas de conservação do bioma amazônico e melhoria da vida das pessoas. Prevê eixos de atuação como: Mitigação das Mudanças Climáticas e Conservação e Desenvolvimento Sustentável. Para isso, será criado um Plano de Trabalho com metas e mecanismos de acompanhamento, definindo prazos, órgãos envolvidos e parceiros.


Além disso, no documento também constam 22 projetos existentes no Estado conforme o que prevê os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), estabelecidos pela Organização das Nações Unidas (ONU). Entre eles: o Plano de Ação para a Prevenção e Controle do Desmatamento na Amazônia Legal; projeto Escola da Floresta; Programa Guardiões da Floresta; e ações de segurança alimentar; entre outros. 


Mesmo com os desafios para a transição à economia de baixas emissões, o documento também aponta que o Governo do Amazonas já investiu, com recursos próprios, cerca de R$ 1,2 bilhão com essas ações para garantir resultados compatíveis com a proposta do Programa Amazonas 2030.


“O estado do Amazonas, por determinação do governador Wilson Lima desde que assumiu o governo, tem investido fortemente em ações que garantam segurança alimentar, capacidade de produção e conservação da floresta, tanto que temos 97% da cobertura natural conservadas. E qual o desafio? Transformar esse ativo da conservação ambiental em um ativo econômico para que a gente possa continuar cumprindo e aumentando as ambições das reduções das emissões, sem esquecer que temos que fazer isso junto com a redução da pobreza“, afirmou o secretário da Sema, Eduardo Taveira.


O Programa Amazonas 2030 também busca sensibilizar países e nações desenvolvidas para sua responsabilidade com o financiamento de iniciativas que cooperem com regiões mais pobres, com o objetivo de vencer o duplo desafio de diminuir drasticamente o desmatamento e reduzir a pobreza prevalente nessas regiões.



FOTOS: Diego Peres e Alex Pazuello / Secom



Postar um comentário

0 Comentários